O sono é fundamental para a consolidação de memórias e o aprendizado. Com base nessa premissa, a Associação Brasileira de Sono lançou, durante o Congresso Brasileiro de Sono, um manifesto que propõe a mudança nos horários escolares com o objetivo de garantir a quantidade de sono adequada a crianças e adolescentes.

O documento defende que o horário das aulas para os estudantes do sétimo ao nono ano do ensino fundamental e dos três anos do ensino médio (adolescentes entre 13 e 17) seja alterado, iniciando preferencialmente a partir das 8:30, para garantir um mínimo de quantidade e qualidade de sono e um bom processo de aprendizagem.

A recomendação está alinhada com a Academia Americana de Medicina do Sono e a Associação Americana de Pediatria.

“Os horários escolares da maioria das escolas brasileiras são inadequados e causam uma restrição de sono nos estudantes com consequências negativas para a regulação emocional e o desempenho acadêmico. Por este motivo, a Associação Brasileira de Sono vem manifestar sua posição”, diz o manifesto.

O documento lembra que adolescentes entre 13 e 17 anos necessitam entre oito e 10 horas diárias de sono e que possuem mais dificuldade de antecipar os horários de dormir e acordar para se adaptar aos horários vigentes. Também pontua que mudanças semelhantes nos horários escolares, que ocorreram em países como Estados Unidos e Inglaterra, influenciaram positivamente o desempenho acadêmico e emocional dos alunos.

Fazem parte da associação os pesquisadores associados da Rede CpE Fernando Louzada (UFPA) e John Fontenele Araújo (UFRN), que promovem estudos sobre o papel do sono no aprendizado.

Confira o manifesto na íntegra

MAIS
doc-1_fatores Leia mais sobre o papel do sono no aprendizado

em nosso documento temático sobre o tema

 

Sobre o Autor

Sofia Moutinho

Jornalista carioca guiada pela curiosidade e fascinada pela ciência. Especializada na cobertura de ciência, saúde, tecnologia e meio ambiente, atuou como repórter da Ciência Hoje durante maior parte de sua carreira. Na Rede CpE, toca a assessoria de imprensa e a produção de conteúdo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado