Usar evidências científicas para basear estratégias de ensino é o mote do livro “Psicolinguística e Metacognição na Escola”, lancado recentemente no I Encontro Nacional de Ensino de Língua Portuguesa – ENELP, na UNIFESP. De autoria de nosso pesquisador associado Marcus Maia (UFRJ), a obra reporta ações tomadas em um colégio público do Rio de Janeiro.

livro apresenta um programa-piloto desenvolvido por equipe do Laboratório LER/UFRJ com turmas de oitavo e nono anos e relata os testes diagnósticos iniciais aplicados na escola. Esses revelaram que os alunos adotavam estratégias de leitura linear, minimamente estruturantes, levando a leituras incompletas. Com base no achado, o grupo de pesquisa desenvolveu oficinas ao longo de um ano para melhorar a leitura dos alunos.

As oficinas envolveram o uso de resultados de testes psicolinguísticos (heatmaps e gazeplots de rastreamento ocular) e projetos ativos de trabalho (zine, praxinoscópio), além de atividades lúdicas de resolução de ambiguidades e de identificação e reestabelecimento de pontos de vista, fundamentados na consciência da constituição sintática do período”, conta Maia, explicando que as estratégias tiveram um bom resultado.

Reportando e discutindo os diferentes testes e as oficinas, o livro pretende alcançar não só alunos e professores dos cursos de graduação e pós-graduação em Letras, Pedagogia, Fonoaudiologia e Psicologia, mas também, e principalmente, docentes em formação ou já atuando nos níveis fundamental e médio no Brasil.  O objetivo é oferecer ferramentas para melhorar as competências linguísticas dos alunos.

Sobre o Autor

Sofia Moutinho

Jornalista carioca guiada pela curiosidade e fascinada pela ciência. Especializada na cobertura de ciência, saúde, tecnologia e meio ambiente, atuou como repórter da Ciência Hoje durante maior parte de sua carreira. Na Rede CpE, toca a assessoria de imprensa e a produção de conteúdo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado