Trinta pesquisadores ingleses de diversas áreas do conhecimento assinaram uma carta aberta destinada ao jornal britânico The Guardian expressando sua preocupação com a popularidade da abordagem de ensino baseada no “estilo de aprendizagem” dos alunos. Os estudiosos dizem que não existem evidências que baseiem essa ideia.

O grupo se opõe à teoria, popular entre professores na Inglaterra, de que o aprendizado é mais eficiente se as crianças são ensinadas usando uma abordagem individual de acordo com seu estilo de aprendizado. Segundo essa ideia, algumas crianças, por exemplo, seriam mais “auditivas” e deveriam ser ensinadas com contação de histórias em vez de exercícios escritos.

Os pesquisadores defendem que a premissa é “um dos inúmeros neuromitos que não servem de nada para melhorar a educação”.

Saiba mais sobre essa polêmica aqui.

Sobre o Autor

Equipe Rede CpE

A Rede Nacional de Ciência para a Educação tem por objetivo integrar esforços dos vários laboratórios e pesquisadores do Brasil, de qualquer especialidade, cujo trabalho possa ser aplicado à Educação.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado