Ferramenta é capaz identificar e promover a cooperação entre pesquisadores de todas as áreas da ciência que fazem interface com a educação

Com o intuito de aproximar investigadores e fomentar estudos que possam contribuir de alguma forma com o campo da educação, a Rede Nacional de Ciência para Educação (Rede CpE) e o Instituto Ayrton Senna lançaram no dia 21 de novembro, em São Paulo, a Plataforma CpE. Trata-se de uma ferramenta digital de busca e visualização de dados sobre os pesquisadores atuantes no Brasil, de qualquer área, cujas linhas de pesquisa tenham aplicação ou alguma interface com a aprendizagem e o ensino.

A ferramenta, disponibilizada gratuitamente on-line no site da Rede CpE, permite localizar pesquisadores individualmente ou grupos de pesquisa, oferecendo diversas informações, como temas de pesquisa, área do conhecimento, coeficiente de produtividade  e grau de colaboração entre eles, ou seja, com quem cada um dialoga em termos de pesquisas.

Os dados vêm diretamente dos acervos da Plataforma Lattes e do Banco de Teses e Dissertações da CAPES, que contam com mais de  5 milhões de perfis acadêmicos cadastrados. A criação da plataforma foi fruto de mais de um projeto de pesquisa de mais de um ano que mapeou esses perfis,  constituindo um Censo Nacional de Ciência para Educação. O censo levantou cerca de 25 mil perfis de pesquisadores brasileiros com estudos com aplicação em educação, dos quais 2.683 são altamente produtivos e colaborativos na área.

A Plataforma CpE propicia a realização de estudos multidisciplinares e tem o potencial de colocar o Brasil em posição de liderança no cenário mundial da pesquisa translacional, aproximando o que se faz nos laboratórios e centros de pesquisa da realidade da sala de aula – uma prática aplicada com frequência na saúde, para a produção de medicamentos e desenvolvimento de novos tratamentos.

“A plataforma é  de grande relevância para se conhecer o estado da arte na área de ciência para educação e também para que as agências de fomento possam criar políticas, editais e programas conhecendo previamente a massa crítica disponível na área”, afirma o coordenador da Rede CpE Roberto Lent, neurocientista da UFRJ.

De acordo com o diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos, o país terá muito a ganhar com a aproximação da ciência com a sala de aula. “O projeto cria um novo espaço de diálogo entre cientistas, educadores e poder público. Para um país como o Brasil, com tantos déficits de aprendizagem escolar, esse pode ser um caminho para de transformação da educação brasileira”, ressalta.

O projeto do Censo teve o apoio do Instituto Ayrton Senna e a implementação da Plataforma foi financiada com recursos da FAPERJ. O evento de lançamento contou com a parceria da Capes e a presença de Abilio Baeta Neves, presidente do órgão. Além de Roberto Lent e Mozart Neves Ramos, também participaram Daniele Botaro (Rede CpE/IAS) e Jesus Mena Chalco (UFABC), pesquisadores responsáveis pela realização do Censo e pelo desenvolvimento da plataforma.

Acesse a Plataforma Cpe

Sobre o Autor

Sofia Moutinho

Jornalista carioca guiada pela curiosidade e fascinada pela ciência. Especializada na cobertura de ciência, saúde, tecnologia e meio ambiente, atuou como repórter da Ciência Hoje durante maior parte de sua carreira. Na Rede CpE, toca a assessoria de imprensa e a produção de conteúdo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado