Ferramenta que identifica pesquisadores com potencial de interseção entre neurociências e educação foi modernizada

A ciência tem cada vez mais se aproximado da educação. Hoje é reconhecida a importância do conhecimento das neurociências para ajudar na compreensão dos processos de aprendizado e guiar práticas educacionais. O Brasil tem um grande potencial de pesquisa nesta área.Todo esse conhecimento, no entanto, estava disperso. Com o intuito de identificar pesquisadores cujos trabalhos geram evidências científicas que podem ser úteis para a educação, a Rede Nacional de Ciência para Educação (Rede CpE) lançou em 2016 a Plataforma CpE. Agora, a ferramenta de busca foi atualizada para mostrar dados mais completos sobre a produção acadêmica dos estudiosos e trazer resultados de forma mais ágil.

A nova versão da Plataforma CpE apresenta pesquisadores brasileiros em nível de doutorado com estudos publicados na interface das neurociências e da educação. São mais de 3 mil indivíduos com este perfil de diversos centros de pesquisa de todo o país — destes, cerca de 120 são pesquisadores associados da Rede CpE.

O projeto teve o apoio do Instituto Ayrton Senna e foi desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa em Cientometria da Universidade Federal do ABC (UFABC) com coordenação do pesquisador associado da Rede CpE Jesus Mena Chalco.

pltaforma cpe

Na Plataforma, é possível buscar pesquisadores por palavras-chave e, opcionalmente, definir também um período de tempo relativo às suas publicações. A busca retorna como resultado uma lista de acadêmicos com linhas de pesquisas relacionadas ao termo procurado. Ao lado do nome de cada pesquisador, são exibidas suas métricas de produção acadêmica, como, por exemplo, o número de artigos e capítulos de livros publicados e o número de vezes que o termo buscado ocorre nos títulos de suas publicações.

Ao clicar no nome do pesquisador, é possível ver em detalhes suas publicações e grupos de pesquisa que integra. Uma das novidades da nova versão é que ela traz informações sobre a genealogia acadêmica de cada indivíduo, mostrando os seus “pais” e “filhos” acadêmicos, ou seja, quem os orientou e quem eles orientaram ao longo de suas carreiras. É possível também checar os descendentes indiretos do pesquisador, “netos” e “bisnetos” acadêmicos. Esses dados vêm de uma integração com a Plataforma Acácia, também desenvolvida pelo grupo da UFABC.

Está planejada para o futuro uma atualização da plataforma para incorporar pesquisadores de outras áreas com interface com educação, além das neurociências.

Cooperação de pesquisa

O principal objetivo da Plataforma CpE é dar visibilidade ao potencial de pesquisa brasileiro em educação com base científica e aproximar diferentes atores, facilitando o fomento de estudos na área.

“A Plataforma CpE é uma ferramenta poderosa para os interessados em Ciência para Educação encontrarem pesquisadores nos mais diversos aspectos dessa ampla área translacional”, diz o neurocientista Roberto Lent, coordenador da Rede CpE. “A nova versão da plataforma concretiza uma meta importante da Rede CpE: aproximar os pesquisadores entre si e também dos professores e outros profissionais interessados em Educação, e assim contribuir para prover a Educação com evidências de base científica.”

Sobre o Autor

Sofia Moutinho

Jornalista carioca guiada pela curiosidade e fascinada pela ciência. Especializada na cobertura de ciência, saúde, tecnologia e meio ambiente, atuou como repórter da Ciência Hoje durante maior parte de sua carreira. Na Rede CpE, toca a assessoria de imprensa e a produção de conteúdo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado